Nissan quer fazer fibra de carbono para modelos generalistas

Nissan testa novo processo de produção de fibra de carbono View Gallery 2 photos

Novo método mais barato permite reduzir o tempo de fazer moldes para apenas dois minutos.

A fibra de carbono é utilizada há várias décadas em modelos de competição e modelos de topo de estrada, contudo, ainda hoje é considerado um luxo. Nos dias que correm, há vários construtores empenhados em inovar e diversificar o uso deste material que custa normalmente dez vezes mais face ao aço. Agora, a Nissan anunciou está a testar um método de reduzir os custos de produção deste material mais leve, visando a sua introdução em modelos generalistas. Segundo o fabricante, graças um novo processo de produção de CFRP (plástico reforçado em fibra de carbono) é possível reduzir o tempo de criação de componentes em cerca de metade e o ciclo de produção através de moldes em cerca de 80% comparativamente com métodos tradicionais, reduzindo o método de dez para apenas dois minutos.

Comparada com outros materiais, a fibra de carbono é bastante trabalhosa de moldar. A maioria dos métodos de produção convencionais requer a colagem de folhas deste material com resina e, em seguida, moldá-lo no formato pretendido. O método é principalmente manual e implica um tempo adicional para a secagem da resina. O processo da Nissan chama-se “moldagem por transferência de resina com compressão” e envolve simulações por computador que estimam qual será o comportamento da resina num molde. As ranhuras podem ser cortadas no molde para garantir que a resina chega aos sítios certos, permitindo maior consistência e maior certeza no resultado final – que, segundo a Nissan, mantem o alto nível de qualidade quando comparado com as peças concebidas por via de métodos tradicionais.

A marca nipónica ainda não definiu uma data para introdução destas peças CFRP em modelos de produção, embora o vice-presidente executivo da Nissan, Hideyuki Sakamoto, admita que estes componentes possam chegar a alguns SUV em quatro ou cinco anos.

Além de reduzir o preço, a utilização de peças em CFRP pode ajudar a baixar o centro de gravidade quando utilizadas em peças da zona superior da carroçaria, como a estrutura do tejadilho, por exemplo. Isto contribui, em última análise, para um modelo mais ágil e divertido de conduzir.

Deixe uma resposta

*