VW esteve quase a comprar a Alfa Romeo em 2018

Ferdinand Piëch

Emblema italiano foi cobiçado durante vários anos pelo antigo chairman Ferdinand Piëch.

A Alfa Romeo recebeu um voto de confiança para que nos próximos 10 anos possa tentar mostrar o que vale no seio do recém-formado grupo Stellantis, composto por 20 marcas. E prova da relevância do emblema de Arese, é o interesse que ao longo dos anos tem despertado sobretudo do grupo Volkswagen. Segundo a Autocar, a marca italiana esteve mesmo a um passo de ser comprada pelo conglomerado alemão, em junho de 2018, por insistência do antigo chairman Ferdinando Piëch (na imagem)  – apesar de, nessa altura, já não estar em funções.

A publicação britânica adianta que a intenção do antigo homem-forte do grupo VW era colocar a Alfa Romeo sob a alçada da Porsche. Piëch (falecido em 2019 com 82 anos) manifestou publicamente por diversas ocasiões o seu apreço pela marca italiana – incluindo uma declaração durante o Salão de Paris de 2011 – e esse interesse na Alfa Romeo foi avivado quando o acionista da FCA, a ADW Capital Management, ter dado a entender que poderia abrir mão deste emblema, tal como havia sido feito com a Ferrari. Assim, por sugestão de Piëch, a VW chegou a estabelecer contacto com a marca milanesa, através de Herbert Diess (o CEO do grupo VW) que chegou a falar sobre o assunto com Mike Manley (o CEO da FCA nos EUA). Diess terá perguntado se a marca italiana estaria à venda, tendo recebido uma resposta negativa. Na altura, a Alfa Romeo tinha em marcha um plano de reforço da gama, de forma a complementar a dupla Giulia e Stelvio.

Em recentes declarações aos jornalistas, Carlos Tavares, o CEO da Stellantis, a atual dona da Alfa Romeo, deu a entender que a histórica marca italiana tinha sido alvo de propostas dos seus concorrentes diretos.

Deixe uma resposta

*