Daytona é o Ferrari só a combustão mais potente da história

Ferrari Daytona SP3

Série limitada com um motor V12 de 840 cv e inspiração retro é também o supercarro aerodinamicamente mais eficiente de sempre dos italianos.

Depois da dupla de modelos de competição Monza SP1 e SP2, a Ferrari revelou o seu terceiro elemento da série Icona, o Daytona SP3. Trata-se de uma série limitada que traz de volta para a era moderna uma série de apontamentos visuais de modelos clássicos da casa de Maranello. Este Daytona estreou no circuito de Mugello, em Itália, durante a Ferrari Finali Mondiali.

Influenciado por ícones de competição do passado como o 330 P3/4, 350 Can-Am, 512 S, entre outros, o Daytona SP3 é o modelo aerodinamicamente mais eficiente alguma vez construído pela marca italiana, mesmo sem elementos aerodinâmicos ativos. Os ocupantes estão sentados numa posição mais baixa e reclinada comparativamente com qualquer outro modelo de estrada da marca do Cavallino Rampante. A altura deste carro feito com base no LaFerrari é de apenas 1142 mm. A aposta recaiu em entradas de ar sobredimensionadas e até as portas com abertura em borboleta possuem uma grande caixa de ar que ajuda a canalizar o ar para os radiadores laterais. O detalhe estético mais chamativo deste modelo de motor central são, por ventura, as barras que percorrem toda a traseira. A acompanhar, os farolins traseiros são feitos de tiras horizontais posicionadas imediatamente abaixo do spoiler. As ponteiras de escape duplas saem de um difusor de aspeto agressivo.

As linhas provocantes têm eco no interior com um para-brisas a envolver o habitáculo, bancos integrados no chassis e pedais ajustáveis, além de um sistema Human-Machine Interface que permite ao condutor tirar as mãos do volante e entregar ao carro o controlo de 80% das funções. O motor do Daytona é uma versão modificada do V12 6.5 utilizado no 812 Competizione. O bloco F140HC, que ficou mais leve em virtude de bielas em titânio, pinos dos pistões com tratamento Diamond Like Carbon (para menor fricção) e uma cambota modificada, debita 840 cv e 697 Nm – tornando-se no modelo não eletrificado mais potente de sempre da marca. O motor atinge 9500 rpm e funciona em conjunto com uma caixa automática de sete velocidades. Este carro com 1485 kg e dotado de uma distribuição equitativa de peso entre os eixos, anuncia 0-100 km/h em 2,86 segundos, 0-200 km/h em 7,4 segundos e uma velocidade máxima superior a 340 km/h. A Ferrari redesenhou o sistema de admissão, optando por um coletor mais compacto. Apesar disso, baixa as emissões poluentes e a formação de partículas em 30% face ao 812 Competizione. Para o chassis e carroçaria deste modelo de estrada a marca de Maranello optou por materiais compósitos como fibra de carbono e Kevlar. Encaixou também pneus específicos Pirelli P Zero Corsa, otimizados para aumentar a estabilidade em seco e molhado. O Daytona é o primeiro Ferrari a inclui o sistema Dynamic Enhancer, que permite ter maior domínio do carro numa condução mais desportiva, controlando a pressão nas pinças de travão em curvas fechadas para otimizar o ângulo da guinada.

A marca italiana produzirá 599 unidades deste Daytona SP3 cujo preço está cifrado nos 2 milhões de euros. As primeiras unidades serão entregues no final de 2022.

Deixe uma resposta

*