Próximo BMW Série 7 terá três versões elétricas

Novo BMW Série 7 elétrico em testes

Na nova geração G70 todas as versões serão eletrificadas. Motor V12 fica de fora.

A BMW está a preparar uma revolução para a próxima geração do Série 7/i7 (G70 para as versões normais e G71 para as versões longas) a lançar em 2022. A berlina de luxo topo de gama do emblema de Munique, alvo de um facelift em 2019 (que incluiu a inclusão de uma grelha sobredimensionada), tem tido uma prestação comercial modesta na Europa, embora tenha alcançado 50 mil unidades vendidas em todo o mundo no ano passado. O modelo é sobretudo procurado no mercado chinês (que concentra cerca de 40% das vendas), EUA (perto de 20%) e países do Médio Oriente (onde o modelo é inclusivamente vendido com um motor de quatro cilindros) – mercados onde a motorização e a performance têm um papel secundário, preferindo o equipamento ou decorações específicas. Talvez por isso, os responsáveis da BMW tenham decidido deixar de fora na nova geração o motor V12 (que já conta com 33 anos de história da marca e mais de 80 mil unidades vendidas) atualmente disponível na versão M760i xDrive, atualmente com vendas residuais. Em sua substituição no topo da sétima geração do Série 7 estará o i7, a versão elétrica – algo já confirmado no mês passado pelo CEO da BMW, Oliver Zipse. A razão justifica-se pelo facto de o mercado principal deste modelo de topo ser o chinês, os maiores consumidores de modelos “zero emissões”. Teoricamente, a opção por uma berlina de luxo com propulsão elétrica tem inúmeras vantagens: além do silêncio a bordo, os motores elétricos são particularmente potentes e com binário elevado disponível logo no arranque. Em contraponto, as baterias são pesadas e caras. Mas o desenvolvimento de motores a combustão também não é barato. E as evoluções necessárias para encaixar o V12 na nossa realidade de baixas emissões de CO2 está a condenar a sua continuidade.

A verdade é que a nova geração do Série 7 estreará uma nova plataforma multienergia, que se insere na estratégia “Power of Choice” do construtor alemão. Esta base permitirá ter versões Diesel, gasolina (ambos, provavelmente, sempre associados a um sistema “mild hybrid” de 48V), híbridas plug-in e 100% elétricas. Com efeito, a tecnologia a utilizar no G70 deverá ser similar à que poderemos ver noutro “zero emissões” bávaro, o iNext, a lançar já no próximo ano – com eletrónica dotada de um módulo 5G e sistemas mais avançados de condução autónoma. Ao que tudo indica, segundo o BMW Blog existirão três versões do Série 7 elétrico na gama. Em causa estará o Mi7/i7M60 com dois motores elétricos a garantirem cerca de 650 cv de potência (mais 75 face ao seu antecessor térmico o M760i V12). Nesta versão da berlina elétrica cujas baterias deverão rondar os 120 kWh de capacidade deverão permitir anunciar cerca de 644 km de autonomia. Contudo, o principal cartão de visita do Série 7 elétrico/i7, cujo sistema utilizado será de quinta geração, será a capacidade de aceleração, que poderá rondar os 0-100 km/h em três segundos – prometendo superar a do motor V12 antigo (que faz 0-100 km/h em 3,8 segundos). Logo abaixo estão previstas mais duas versões: i740 e i750, com cerca de 350 e 450 cv, respetivamente – sendo que a menos potente contará com apenas um motor e tração traseira e a mais potente desta dupla terá uma configuração de dois motores e tração integral. A bateria da versão de acesso poderá ter 80 kWh como a do i4 e a intermédia 110 kWh.

Quanto à restante gama, está prevista uma versão híbrida plug-in M750e que terá por base um seis cilindros 3.0 turbo a gasolina a funcionar em conjunto com um motor elétrico, para um débito de potência combinada acima dos 500 cv. Esta versão eletrificada será acompanhada do i7M60 com tratamento M Performance, que substituirá na gama o atual 750i com motor V8 4.4 de 530 cv. O outro PHEV, o 745Le com 394 cv extraídos da combinação de um seis cilindros 3.0 turbo e de um motor elétrico continuará a estar disponível na próxima geração.

A base da gama será formada pelas duas únicas opções a combustão, com assistência “mild hybrid”: o 735d com um 3.0 de seis cilindros Diesel com cerca de 265 cv e o 740i com um seis cilindros 3.0 a gasolina que terá mais do que os 340 cv do modelo atual.

Deixe uma resposta

*