A curiosa história do carro mais rápido do mundo

Bugatti EB16-4 Veyron Concept View Gallery 8 photos

Ferdinand Piëch foi o cérebro por detrás do primeiro automóvel de produção com mais de 1000 cv. O Bugatti Veyron foi lançado há 15 anos.

Seria de pensar que o processo de criação de um hipercarro como o Bugatti Veyron surgiria numa reunião confidencial que congregasse algumas das personalidades mais importantes do grupo VW… Mas a verdade é que a história do primeiro automóvel de produção a alcançar os 400 km/h teve origem num esboço desenhado na parte de trás de um envelope, a bordo de um comboio de alta velocidade.

Tudo começou em 1997 quando o CEO do grupo VW, Ferdinand Piëch, estava numa viagem entre Tóquio e Nagoya. Conhecido mundialmente pelos seus extraordinários conhecimentos de engenharia mecânica, Piëch decidiu ocupar o seu tempo livre projetando um motor de 18 cilindros constituído pela fusão de três motores VR6 da Volkswagen. Com a verdadeira intenção de consumar a sua produção, o austríaco considerou colocar o motor num veículo da Rolls-Royce ou da Bentley – ambas detidas pelo grupo VW na altura. Até que um dia, o seu filho lhe pediu para comprar uma miniatura de um Bugatti Type 57 Atlantic e o rumo da história sofreu um desvio: a emblemática Bugatti seria “ressuscitada”.

Ao longo do processo, foram surgindo diversos protótipos que acabaram por alterar alguns dos parâmetros iniciais do modelo, nomeadamente o motor, mas o projeto acabou por concretizar-se e obteve um sucesso estrondoso. Em 2005 o Veyron foi lançado e seriam produzidos 450 exemplares do hiperdesportivo (contando com todas as versões). Desde aí, a Bugatti adquiriu o ilustre estatuto de fabricar os automóveis mais velozes do mundo.

Deixe uma resposta

*