Raro Lamborghini Diablo GTR vai a leilão

Lamborghini Diablo GTR View Gallery 6 photos

Exemplar da versão de pista limitada a 40 unidades correu nos GT australianos. Pode chegar a 600 mil euros.

Com a difícil tarefa de suceder ao Countach, o superdesportivo Lamborghini Diablo esteve em produção entre 1990 e 2002. Uma das suas versões para pista, foi o GTR, apresentado no Salão de Bolonha de 1999, cujo cartão-de-vista foi uma versão ainda mais potente do motor V12 6.0 utilizado na versão de estrada GT, agora a chegar aos 598 cv (apenas menos 5 cv face à versão mais potente da gama, o Diablo SE30 Jota – um modelo de estrada) e 640 Nm, funcionando em associação com uma caixa de cinco velocidades a enviar potência para as rodas traseiras. Para o efeito, foram efetuadas modificações na distribuição, utilizado um novo coletor de admissão, novo comando variável de válvulas, bielas em titânio, uma cambota mais leve e um novo coletor de escape. Estas caraterísticas permitem-lhe acelerar de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos e atingir uma velocidade máxima de 338 km/h.

Feito para substituir o Diablo SV-R utilizado na competição monomarca Diablo Super Trofeo, este modelo limitado a apenas 40 cópias (apesar de inicialmente estarem previstas apenas 30) era também mais radical em termos de estilo (apesar de um exterior muito semelhante ao GT), tinha um interior desprovido de elementos decorativos ou acessórios – logo, era mais leve. O Diablo GTR notabilizou-se sobretudo nas corridas de GT australianas: em 2003 e 2004 foi campeão da Australian Nations Cup Championships nas mãos de Paul Stokell e em 2003 passou igualmente pelas mãos de pilotos como Luke Youlden, Peter Hackett e Allan Simonsen nas 24 Horas de Bathurst, tendo acabado a corrida em 8.º lugar na sequência de vários furos.

Ora é um destes escassos exemplares desta versão mais “selvagem” que foram modificados para correr em concordância com as regras do campeonato de GT australianos que está agora à venda. Uma das mudanças mais evidentes é a substituição da tradicional caixa manual por uma caixa sequencial (que lhe permite reduzir 0,4 segundos no tempo por volta). Além do chassis com especificação específica para pista, este Diablo GTR possui uma carroçaria em fibra de carbono feita à medida. Como tal, não é de estranhar que seja também uma das variantes mais caras do desportivo italiano. A leiloeira Lloyds estima que este modelo (do qual se especula que existam apenas 28 unidades, distribuídos entre a Europa, Rússia e América do Norte) possa chegar a 1 milhão de dólares australianos, o equivalente a 600 mil euros.

Deixe uma resposta

*