SUV elétrico Mercedes-Benz EQA adiado para 2021

Mercedes-Benz EQA

Modelo derivado do GLA promete superar 400 km de autonomia e uma versão com dois motores com prestações dignas de um AMG.

Quando apresentou a segunda geração do GLA, a Mercedes-Benz prometeu uma derivação elétrica para os meses seguintes e até já mostrou essa variante em testes ainda camuflado (na imagem). Contudo, os responsáveis da marca de Estugarda viram-se obrigados a adiar a estreia do EQA para a próxima primavera e chegada das primeiras unidades para a segunda metade do próximo ano. E há mais do que um motivo para que isso tenha acontecido. Em primeiro lugar, tal como muitos outros construtores, a Mercedes-Benz sofreu com a interrupção do processo de produção e do desenvolvimento de novos modelos por via da pandemia do Covid-19.

A juntar a isso, a marca alemã viu-se forçada a mudar o local de produção daquele que será para já seu modelo elétrico de acesso. O EQA estava efetivamente apontado para Hambach (França) para a atual fábrica dos Smart, mas o facto de essa fábrica poder vir a ser vendida para a Ineos, que produzirá nesse local o novo SUV Grenadier, forçou a Mercedes-Benz a relocalizar o modelo para Rastatt (na Alemanha) – onde será feito o EQB (um SUV derivado do GLB, a lançar também durante 2021).

Por fim, o avanço do EQA (modelo que se posicionará abaixo do EQC) foi adiado em meio ano igualmente devido à atual dificuldade em encontrar células de baterias. Por falar nisso, o SUV elétrico promete superar os 400 km de autonomia e possibilita o carregamento rápido até 125 kW.

O EQA será lançado com duas configurações: com um motor e tração dianteira, além de uma versão de topo dois motores e tração integral, que promete equiparar-se em termos de performance ao GLA 45 S.

Deixe uma resposta

*