Toyota GR Corolla tem 305 cv

Toyota GR Corolla Circuit Edition

Gazoo Racing converteu o pequeno familiar num “hot hatch” de tração integral e caixa manual inspirado nos ralis.

A Toyota revelou finalmente o GR Corolla, um concorrente do VW Golf R e do Honda Civic Type R, entre outros, que estará à venda no final de 2022 nos EUA. O seu lançamento na Europa ainda é uma incógnita. Este novo produto com selo da divisão desportiva Gazoo Racing é o topo de gama do Corolla e inspira-se no mundo dos ralis. À disposição estão duas versões: Core (nas imagens a vermelho) e Circuit Edition. Esta última, que só chegará em 2023, distingue-se pelo diferencial autoblocante de tipo Torsen em cada um dos eixos (opcional no Core), capot ventilado, tejadilho em fibra de carbono forjada, aileron traseiro e punho de caixa Morizo (o pseudónimo pelo qual é conhecido o presidente da Toyota, Akio Toyoda). Ambas as versões têm uma carroçaria alargada, com 1,85 m (comparativamente com os 1,79 m do modelo convencional), e mais comprida, com 4,41 m (em vez de 4,37 m). O para-choques dianteiro conta com uma entrada de ar maior e o traseiro integra um difusor com três ponteiras de escape.

Por dentro, existem também alguns elementos específicos, nomeadamente o travão de mão, painel de instrumentos com ecrã de 12,3 polegadas (em vez de 7” das demais versões) que exibe informações relativas à pressão do turbo, forças G, repartição do binário do sistema de tração, rotação do motor, entre outros. Os bancos contam com encostos de cabeça integrado e surgem revestidos em tecido na versão Core e em couro sintético e camurça na opção Circuit Edition, na qual têm ajustamento elétrico.

Este modelo de base GA-C recebe pontos de soldadura adicionais, de forma a aumentar a rigidez, mas mantem o esquema de suspensão MacPherson à frente e barra de torção atrás do Corolla convencional. O motor é o G16E-GTS, já conhecido do GR Yaris: um bloco de três cilindros turbo com 1618 cm3 de cilindrada, injeção direta e indireta, que neste caso sobe de 262 para 305 cv às 6500 rpm. Os pistões são arrefecidos por jatos de óleo. Os cilindros estão quase inteiramente rodeados por circuitos de arrefecimento a água, num bloco “open deck” feito em alumínio. Para reduzir a vibração do motor, existe um eixo equilibrador. A distribuição de potência é feita às quatro rodas por via de uma caixa manual de seis velocidades, com função “rev matching”. O esquema de repartição de binário entre as rodas não é igual ao do GR Yaris, sendo aqui na proporção 60:40, 30:70 o 50:50, que é ajustada a partir de um comando rotativo. As jantes são de 20 polegadas, “calçam” pneus Michelin Pilot Sport 4 de medida 235/40 e surgem acompanhadas de pinças de travão em alumínio de quatro pistões à frente e de dois atrás. O capot e as asas dianteiras são em alumínio.

Deixe uma resposta

*