Renault revela interior do novo Clio

View Gallery 7 photos

A quinta geração será dominada por um ambiente mais upmarket.

A Renault estreia hoje a nova geração do Clio. Mas enquanto não mostra a imagem exterior do carro que fará a sua primeira aparição ao grande público em março no Salão de Genebra, a marca francesa brindou-nos com fotos do interior. O Clio V surge com um aspeto mais tecnológico e com um incremento assinalável da qualidade dos materiais. No Clio IV predominavam os plásticos duros no tablier, aspeto que foi corrigido no novo modelo. Aliás, o designer da Renault, Lauren van den Acker assume que a qualidade apercebida do modelo precisava de melhoramentos, razão pela qual 70% do processo de desenvolvimento do novo carro foi focado no interior. O novo Clio surge com bancos mais finos, o que contribuiu para um aumento do espaço para pernas nos lugares posteriores em 26 mm, com um porta-luvas maior e com uma bagageira que oscila entre os 330 litros extensíveis a 391 se considerarmos o compartimento inferior. Outro aspeto revelante foi a introdução de um ecrã tátil ao alto, estilo tablet, com 9,3”, ao estilo da Espace – o que lhe permitirá prescindir de vários botões físicos. Existe ainda um painel de instrumentos digital de 10” que pode projetar o mapa da navegação. Aspetos relacionados com a ergonomia também foram tidos em consideração, tais como os comandos do ar condicionado, facilitando a sua utilização.

Por fora, o utilitário promete não mudar muito face ao bem-sucedido modelo atual, mantendo elementos como os puxadores “escondidos” nas portas traseiras. Contudo, esperam-se mais parecenças com o novo Mégane e a adoção de elementos do Symbioz concept. Espera-se que adote faróis de aspeto mais afilado, numa frente mais agressiva e com linhas mais angulares. O novo Clio será feito com base na nova plataforma CMF-B, uma evolução da base utilizada no “irmão” Nissan Micra. Utilizará motores a gasolina 1.0 e 1.3 (este último desenvolvido em conjunto com a Mercedes-Benz), a que se junta um Diesel 1.5 com 116 cv. Ao longo do ciclo de produto estão previstas versões híbridas: primeiro um “mild hybrid” (com designação Eco2) com base num motor Diesel 1.5 dCi e num sistema elétrico de 48V e em 2020 um híbrido Plug-in. Para esse mesmo ano está previsto o Clio RS para o topo da gama, que deverá adotar um 1.8 turbo (o mesmo do Mégane RS, mas com menos potência), em substituição do 1.6.

O Clio V contará ainda com um sistema de condução autónoma de nível 2, desenvolvido em conjunto com a Nissan. O novo Clio estará à venda no verão.

Deixe uma resposta

*