Renault Mégane Sport Tourer 1.7 Blue dCi 150 EDC GT Line

Renault Mégane Sport Tourer GT Line View Gallery 24 photos

A gama Mégane mantem-se como das mais procuradas entre particulares e empresas em Portugal. Agora, a dúvida principal é: o que se ganha e o que se perde com o novo motor Diesel 1.7 Blue dCi de 150 cv para o topo da gama?

O que é?

De modo a respeitar o novo ciclo de homologação WLTP, a Renault está paulatinamente a substituir alguns dos motores da sua gama, sendo que o Diesel continua a ser ainda um ponto sensível, dada a sua elevada procura, em particular na gama Mégane. Ensaiámos o novo motor 1.7 Blue dCi com 150 cv, na versão carrinha Sport Tourer – o motor que veio substituir o 1.6 dCi de 160 cv – e fomos perceber se é um digno sucessor.

Para que serve?

Os defeitos e as virtudes da atual geração do Mégane (a quarta) são já sobejamente conhecidos. Sem ser um dos modelos mais entusiasmantes de conduzir do segmento, beneficia de um estilo moderno no exterior e um interior tecnológico que o tornam particularmente apelativo e o seu sucesso comercial não deixa mentir. Enquanto não chega o facelift, continua a haver motivos de interesse na atual gama Mégane com a introdução de novos motores. Um dos mais curiosos é o novo motor de topo, o 1.7 dCi com 150 cv e 340 Nm, que vem ocupar o lugar do antigo 1.6 dCi de 160 cv e 380 Nm. Apesar do aumento de cilindrada, há menos 10 cv e 40 Nm em jogo. Esta que é a nova referência Diesel da gama do pequeno familiar francês é efetivamente uma evolução do bloco antigo – na gama Scénic, por exemplo, existe ainda uma versão de 120 cv deste novo motor. Adota o novo sistema de injeção de Ad Blue que lhe permite ser mais limpo face ao antecessor, mas isso não impede que tenha um funcionamento muito flexível, não se notando uma quebra de rendimento significativa face ao antecessor – o novo bloco 1.7 responde bem logo a partir das 1500 rpm. Contudo, o seu forte são os regimes intermédios, sendo possível tirar partido da sua capacidade de resposta sobretudo em estradas secundárias. Em regimes mais elevados, perde de certa forma o seu nível de refinamento, tornando-se mais ruidoso quando comparado com motores de caraterísticas similares da concorrência – estando igualmente longe de poder providenciar qualquer emoção digna de um desportivo. Em contraponto, o apetite parece ter aumentado ligeiramente face ao antigo 1.6. Apesar de autoestrada revelar consumos baixos, mantendo-se inferiores à barreira dos 5 l/100 km, pareceu-nos um motor um pouco mais gastador na cidade do que o anterior, podendo ir até a (uns ainda assim nada assustadores) 7,5 l/100 km. Durante o nosso ensaio, registámos uma ainda assim uma média final muito boa de 6 l/100 km. A caixa de dupla embraiagem EDC de seis velocidades (sem patilhas no volante) faz uma boa gestão do motor e ajuda à assertividade da resposta.

Bem apetrechada, a unidade ensaiada no nível de equipamento GT Line tem como principal destaque as decorações em azul no interior, os bancos estilo bacquet do Mégane RS com estofos em tecido (que proporcionam um excelente apoio lombar), volante específico, sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro, modos de condução Multisense, head-up display, retrovisores rebatíveis eletricamente, entre outros itens de série.

Porque devo comprar?

O Mégane ST é dinamicamente muito neutro e mesmo a nível de conforto com as jantes de 18 polegadas da unidade ensaiada não deixa propriamente a impressão de ser o carro mais confortável do segmento. O novo motor 1.7 Blue dCi não é poço de refinamento nem de pujança, mas não desiludirá quem é fã de carrinhas Diesel – caso não se queixe da típica sonoridade do funcionamento e das vibrações sempre presentes, embora nunca exageradas. É um bloco bastante agradável numa utilização quotidiana e bastante discreto e neutro no funcionamento. A juntar a isso, se gosta da estética e do sentido prático da carrinha francesa, que junta ainda à equação uma boa habitabilidade, então tem aqui uma boa proposta. Contudo, se quisermos ir ao pormenor, é mais guloso, menos eficiente e “performante” face ao antecessor.

Que opções tenho?

A carrinha Mégane Sport Tourer começa nos 23.750 euros na versão Zen a gasolina TCe 110 cv (preço de campanha – ver em baixo). Se o seu foco são os Diesel, com o motor 1.5 Blue dCi de 95 cv, os preços arrancam nos 26.150 euros, no mesmo nível de equipamento. A versão mais potente com 115 cv já sobe para os 27.150 euros e a versão EDC de sete velocidades (disponível a partir do nível Limited) para os 31.250 euros. A versão ensaiada, o Diesel de topo com 150 cv e caixa EDC, acessível a partir do nível GT Line, parte dos 39.240 euros. Entre a concorrência, por exemplo, a carrinha Opel Astra Sports Tourer com motor 1.6 Turbo D de 136 cv e caixa automática começa nos 35.900 euros e a VW Golf Variant 2.0 TDI de 150 cv e caixa DSG de sete velocidades nos 44.516 euros.

Há desconto?

Até ao final de agosto, a Renault está com uma campanha para particulares para a Mégane ST. A versão Diesel de 115 cv Limited começa nos 24.610 euros, com financiamento e retoma de viatura 8,30% TAEG.

Deixe uma resposta

*