Jaguar prepara rival do BMW Série 1

Jaguar R-D6 Concept

Hatchback com cerca de 4,50 metros de comprimento substituirá de uma só vez o XE e o XF.

Os próximos meses serão cruciais para a Jaguar Land Rover (JLR) e é de esperar que nos próximos meses sejam anunciados ajustamentos à gama. Quem o confirmou foi o próprio PB Balaji, o responsável financeiro da Tata Motors, a dona da JLR. Mas nada é ainda oficial. O que se conhece para já é que o programa de desenvolvimento de novos modelos e de renovações da gama foram adiados, em face da crise global da indústria. Entre esses novos modelos constam uma nova geração do Jaguar XJ (que será totalmente elétrico) e o facelift do Land Rover Discovery.

A grande novidade foi, no entanto, avançada hoje pela Autocar, que dá conta de estar na calha uma nova berlina da Jaguar. Tendo neste momento intocáveis na sua gama modelos como os SUV E-Pace, F-Pace e o elétrico I-Pace, toda a restante gama poderá estar atualmente em xeque. Como tal, aparentemente, uma das possibilidades encaradas com bons olhos pelos responsáveis da marca britânica são alternativas às berlinas tricorpo XE e XF (um segmento em quebra no mercado atualmente). Em causa está um modelo mais pequeno, com uma configuração hatchback de cinco portas e cerca de 4,50 metros de comprimento, para concorrer um segmento abaixo para medir forças com propostas como o BMW Série 1, Mercedes-Benz Classe A e Audi A3. A franja de mercado das berlinas premium representa 800 mil unidades/ano na Europa.

Este modelo mais barato, que poderá ter uma silhueta na linha do protótipo RD-6 de 2003 (na imagem, que foi o primeiro projeto desenhado pelo lendário Ian Callum para a Jaguar), pode contribuir para recuperar clientela mais jovem para a Jaguar. Julian Thompson, o responsável pelo departamento de design da marca inglesa, corrobora desta ideia dizendo que “seria um prazer desenhar carros mais pequenos. Acho que é altura certa para o fazer. A Jaguar precisa de um produto global que seja capaz de atrair clientes mais jovens e também do sexo feminino”. O principal entrave para este projeto poderá mesmo ser industrial, pois não há nenhuma plataforma adequada para o materializar – embora pareça ser possível adaptar a base MLA (a do novo XJ). A decisão mais óbvia seria utilizar a base de tração dianteira da parceira BMW, atualmente ao serviço do Série 1. Recorde-se que a JLR e a BMW estão a trabalhar em conjunto em novos motores e que os atuais Mini e os motores para a base UKL são feitos no Reino Unido.

Outra alternativa em cima da mesa a encarar seriamente para suceder a dupla XE/XF é uma berlina de design radical, com opções mild hybrid e plug-in.

Deixe uma resposta

*