Alpine A110 poderá vir a ter motor 2.0 da BMW

Alpine A110

O “pequeno” motor 1.8 da Renault poderá não encaixar na norma Euro7 e a solução poderá passar pelo bloco “maior” bávaro B48 que nalguns modelos chega aos 306 cv.

Os construtores começam a preparar o caminho para a chegada da norma ambiental Euro7, prevista para 2026. Atualmente, a Renault e a Alpine têm em mãos um motor 1.8 TCe que nasceu ainda compatível com a norma Euro6c e que foi retrabalhado com a inclusão de um filtro de partículas de modo a cumprir a Euro6temp, na versão que está disponível no Alpine A110S e no Renault Mégane RS depois do facelift. Segundo uma fonte próxima do grupo francês à La Revue Automobile, existem constrangimentos que impedem que o motor possa cumprir a próxima norma.

Como tal, a solução poderá passar por um acordo com a BMW para partilha do motor 2.0 de quatro cilindros turbo B48 de colocação transversal – que atualmente no Mini JCW GP atinge 306 cv. Este cenário coloca-se, independentemente da parceria tecnológica entre a Renault e a Mercedes-Benz, que atualmente produzem em conjunto um motor 1.3 TCe a gasolina. Além disso, a solução de um motor 2.0 de origem bávara poderá ser a ideal numa altura em que os construtores está a reverter a tendência do “downsizing” e a optar por motores de maior cilindrada.

Uma coisa é certa, para já: o Alpine deixará de ser feito na histórica fábrica de Dieppe. E a segunda geração do desportivo é neste momento uma incógnita. Contudo, a vinda de um motor 2.0 BMW para a gama seria um “balão de oxigénio” para o Alpine A110 e o Renault Mégane RS puramente a combustão poderem durar mais alguns anos.

Deixe uma resposta

*