Renault poderá descontinuar Alpine A110

Alpine A110

Plano de contenção de custos do construtor francês poderá implicar prescindir do coupé.

A aliança Renault-Nissan-Mitsubishi prevê apresentar um plano de redução de custos no dia 28 de maio. Do lado dos franceses, no programa que prevê um corte de 2,2 mil milhões de euros poderão estar o fim de modelos históricos como a Espace ou o Scénic, mas também da gama familiar Talisman. Contudo, segundo avança hoje a Automotive News Europe, os cortes poderão ter efeitos nefastos junto dos fãs de modelos desportivos, com o eventual encerramento da fábrica de Dieppe – uma das mais pequenas da aliança. Caso se venha a confirmar o fecho destas instalações, que empregam atualmente 400 pessoas, esta decisão implicará a suspensão do Alpine A110 três anos apenas após o seu lançamento. Resta saber se a Renault está na disposição de transferir a produção do coupé para outra fábrica.

Em setembro de 2018, a Renault anunciou que a lista de espera pelo A110 era de 14 meses, motivo que motivou o aumento do ritmo da produção de 15 para 20 unidades por dia.

No início deste ano, a CEO da Renault, Clothilde Delbos disse que não haverá “nenhuns pruridos” no processo de redução de custos.

Deixe uma resposta

*