SSC Tuatara vai repetir tentativa de recorde de velocidade

SSC Tuatara

Nova investida surge depois da veracidade do vídeo da volta original, que tinha o objetivo de comprovar o registo de 508,73 km/h, ter levantado inúmeras suspeitas.

De 2007 a 2010, o SSC Ultimate Aero foi carro de produção mais rápido do planeta – roubando na altura o título ao Bugatti Veyron. E quando a SSC construiu o sucessor do Ultimate Aero, o Tuatara, a marca norte-americana prometia reclamar para si o cetro. Há poucas semanas, foi confirmado o recorde com um impressionante registo de 508,73 km/h de velocidade máxima, pulverizando os 447,19 km/h do anterior detentor da melhor marca, o Koenigsegg Agera RS. O recorde até foi filmado, como vem sendo tradição neste tipo de aventuras. Mas, qual golpe de teatro, a legitimidade do vídeo começou logo de imediato a ser contestada um pouco por toda a internet. Aparentemente, as imagens mostram que o hipercarro conseguiu “apenas” um máximo de 450 km/h, e não os publicitados 533 km/h obtidos numa das passagens. As coisas pioraram para o lado da SSC North America, quando a Dewetron, a empresa austríaca que, alegadamente, tinha validado o recorde, afirmou em comunicado na semana passada que nunca o aprovou – especulando-se que os engenheiros da marca terão calibrado o sistema de forma incorreta.

Face a tamanha contestação e ausência da validação do alegado registo, o fundador da SSC North America confirmou que o Tuatara vai voltar à estrada para uma nova (e, espera-se, definitiva…) tentativa de bater o recorde. Jerod Shelby reconheceu que será necessário repetir a tentativa de recorde para que desta vez seja “irrefutável”. Ao contrário do que aconteceu na primeira tentativa, desta vez a SSC utilizará GPS oriundo de vários fornecedores (que terão presentes os seus próprios representantes de modo a poderem avaliar as condições e os equipamentos) a bordo do hipercarro de modo a conseguir escrutinar com precisão o tempo obtido.

Por uma questão de honra, a nova tentativa, prevista para “muito em breve”, contará ainda com a presença três dos “youtubers” que contestaram os resultados iniciais.

Deixe uma resposta

*