De Tomaso Pantera GTS único foi leiloado

De Tomaso Pantera GTS ‘Tony Mantas Prototipo’Artcurial View Gallery 14 photos

One-off “Prototipo Tony Mantas” de 1975 foi criado para um amigo de Alejandro de Tomaso.

Um dos exemplares mais especiais do De Tomaso Pantera foi leiloado na semana passada em Paris, o Pantera GTS “Prototipo Tony Mantas”. Trata-se um exemplar criado para um amigo de Alejandro de Tomaso, o fundador da marca italiana. Esta peça única, foi leiloada pela Artcurial no passado dia 4 de fevereiro a um cliente anónimo por valores desconhecidos (embora se estime que possa ter sido arrematado entre 180 e 220 mil euros).

Este Pantera GTS de 1975 criado para o empresário grego Constantin “Tony” Mantas tem caraterísticas únicas. Para começar, o desportivo de motor central com o número de chassis 742 surge com um kit estético próprio, com eixos mais largos (semelhantes aos do carro de ralis do Grupo 4) e vários detalhes exteriores especiais. As primeiras modificações foram pedidas ao gosto de Mantas, mas houve muitas mais alterações efetuadas posteriormente. Todos os meses de 1977, o carro visitou a oficina para ser transformado. Logo de fábrica, a De Tomaso começou por fazer o carro com a suspensão o mais baixa possível, revestir várias áreas do tablier e o forro das portas em couro branco. Nota ainda para o “T” no centro do radiador, colocada uma placa de matrícula EE (utilizada em viaturas que circulam temporariamente na Itália, mas devem ser exportadas), foi também retirado o para-choques traseiro e incluído um escape de alto rendimento “free flow”. Em 1978, o protótipo recebeu uma nova pintura, num esquema branco e vermelho, ganhou um novo tejadilho em vidro e detalhes em madeira no interior. As fotografias de época ajudam a acompanhar estes vários ciclos de modificações. No final da década de 1970, o carro terá tido um motor modificado, com o bloco V8 5.7 de origem Ford a passar para os 7 litros.

Estima-se que o Prototipo tenha viajado por vários países, incluindo Itália, Suécia, França e possivelmente a Grécia. Em 1985, o carro foi apreendido pela Polizia Stradale devido a uma matrícula ilegal e por razões desconhecidas, o dono do carro nunca o tentou recuperar. O Pantera ficou na posse da polícia até 1992, altura em que foi leiloado a um colecionador que o manteve na sua posse até 2010, sem antes o ter restaurado à sua glória original.

Deixe uma resposta

*