Primeiro SUV elétrico da Renault chega em 2022

Renault Mégane E-Tech Electric View Gallery 3 photos

Mégane E-Tech Electric será feito a partir de uma plataforma específica que estreou no Nissan Ariya.

A Renault quer tornar-se na “marca mais ecológica da Europa” até 2030. O plano do construtor francês foca-se sobretudo na sustentabilidade e em tecnologia moderna, com especial enfase na eletrificação. Segundo o CEO de Renault, Luca de Meo, o objetivo é que até ao final presente década 9 em cada 10 modelos vendidos pela marca sejam “eletrificados”. Até 2025, a marca prevê lançar 24 novos modelos (metade dos quais dos segmentos C e D). Para melhorar a eficiência, o número de plataformas será reduzido em 2024.

O modelo que representa o primeiro passo firme no sentido de uma nova era de eletrificação pura é o Mégane E-Tech Electric (nas imagens) que começará a ser produzido em Douai perto do final do ano para ser lançado na primeira metade do próximo ano. Aquele que será o primeiro SUV “zero emissões” da história da marca francesa terá por base uma plataforma específica, mais concretamente a CMF-EV – que estreou no Nissan Ariya. De Meo diz que o protótipo eVision com 4,21 metros de comprimento apresentado no ano passado representa 95% do modelo final. Nas fotos agora publicadas é possível ver parcialmente a traseira do Mégane E-Tech Electric, onde se destaca o novo logótipo da marca, mas também há imagens do interior, com realce para o ecrã central tátil disposto na vertical e para o painel de instrumentos digital. A escolha do nome Mégane não foi inocente uma vez que, apesar de esteticamente não ter nada ter a ver com a atual família, é uma forma de recuperar clientes no segmento C. Antes sim, deve ser visto como um potencial concorrente do VW ID.4. Recentemente “apanhado” a realizar testes ainda camuflado, o SUV elétrico da Renault exibe faróis de formato afilado, jantes sobredimensionadas e a tomada de carregamento no pilar A do lado do passageiro. Já o perfil é descrito pelo próprio De Meo como sendo uma “reinvenção do hatchback clássico de uma forma emocional”. Recorde-se que o Mégane eVision tinha uma bateria de 60 kWh de capacidade, que lhe permitia anunciar um alcance total até 450 km, e um motor dianteiro de 160 kW/218 cv e 300 Nm. Este modelo deverá ser capaz de efetuar um sprint entre 0 e 100 km/h em menos de oito segundos. Tal como sucede com o “irmão” da Nissan, o SUV compacto da Renault deverá estar disponível com uma bateria maior de 87 kWh e numa versão equipada com dois motores e tração integral a debitar 394 cv. A autonomia oscilará, dependendo da versão, entre 340 e 500 km (WLTP). Deverá ser possível carregar o carro até 130 kW.

O selo E-Tech passará a ser utilizado em todos modelos “eletrificados” da marca francesa, sejam eles híbrido, plug-in ou 100% elétricos. Por falar nisso, depois do Clio, Captur e Mégane de cinco portas, a aposta em variantes E-Tech será alargada ao novo SUV de formato coupé Arkana. A Renault diz que está a desenvolver um novo motor 1.2 de três cilindros que terá uma versão híbrida com 200 cv e híbrida plug-in de tração integral com 280 cv. Este motor chegará em 2024 e será aposta sobretudo no segmento C.

Deixe uma resposta

*