Rimac vai “casar” com a Bugatti em 2022

Bugatti comprada pela Rimac

Joint-venture vai ajudar a marca de Molsheim a transitar para a “eletrificação”.

A Rimac Autombili, uma start-up croata que tem dado que falar pelos seus hipercarros elétricos (nomeadamente o recém-apresentado Nevera), deverá avançar para a compra da Bugatti Automobiles no próximo ano. Com esta união a Rimac pretende não só ajudar a Bugatti a fazer hipercarros elétricos, como levar a marca francesa para fora desse segmento. Nas palavras de Mate Rimac, o CEO do novo grupo: “não vamos limitar-nos a colocar logótipos da Bugatti no Nevera, ou tornar o Chiron num híbrido. Estamos num processo de desenvolver algo totalmente novo para a Bugatti. Segundo o croata, a título de exemplo, o motor W16 (utilizado no Chiron) vai ser utilizado num modelo híbrido, que será comercializado juntamente com um Bugatti 100% elétrico. Ambos os modelos têm chegada prevista para o final da presente década. Neste esforço coletivo, a Rimac ficará responsável pelo fornecimento da bateria, transmissão e outros componentes.

Desta união de esforços resultará uma joint venture na qual, segundo a Reuters, a Rimac será acionista maioritária com 55% das ações, sendo que a Porsche ficará com as restantes 45%. Apesar desta joint-venture, ambas as marcas continuarão a operar de forma independente: a Rimac em Zagreb (na Croácia) e a Bugatti em Molsheim (França). Contudo, haverá uma sede global para a nova empresa Bugatti Rimac, que ficará situada no recém-anunciado Rimac Campus, cuja inauguração está prevista para 2023. Com uma área de 100 mil m2, estas instalações servirão de base para toda a pesquisa e desenvolvimento dos futuros hipercarros das duas marcas. A nova Bugatti Rimac empregará 430 pessoas (incluindo 300 na nova sede e 130 em Molsheim).

A Rimac sublinha que apesar deste acordo agora estabelecido continuará a operar de forma independente com outros construtores.

Deixe uma resposta

*