Andy Palmer está de saída da liderança da Aston Martin

Andy Palmer e o Aston Martin DBX

Sucessor deverá ser o atual homem-forte da Mercedes-AMG, Tobias Moers.

Após seis anos no cargo, Andy Palmer deverá deixar a liderança da Aston Martin. Segundo o Financial Times, esta saída deverá ser comunicada na próxima terça-feira durante uma reunião da direção, na qual será apontado o seu sucessor no comando da marca britânica. A mesma fonte diz que Tobias Moers, o atual patrão da Mercedes-AMG é o escolhido para o cargo. Esta decisão permitirá cimentar o acordo entre a Aston Martin e a Daimler (a dona da Mercedes-Benz, que já possui 5% das ações da marca britânica), que atualmente envolve o fornecimento de motor V8 e outros componentes à casa de Gaydon. Em comunicado, a Aston Martin confirmou que existem conversações com vista à reformulação da direção e que as alterações serão comunicadas brevemente.

Palmer foi apontado o CEO da Aston Martin em setembro de 2014, após ter transitado da Nissan – estando ligado ao sucesso do Qashqai e do Leaf.

Recorde-se que a Aston Martin vive momentos de incerteza financeira, mesmo após o investimento do milionário Lawrence Stroll (dono da equipa de F1 Racing Point, que comprou 20% das ações na marca – o que equivaleu a uma injeção de 615 milhões de euros) e do patrão da Mercedes F1, Toto Wolff – visando o regresso do emblema britânico à competição de automóveis mais mediática do mundo já em 2021. Desde que anunciou uma OPA em outubro de 2018, o valor das ações da Aston Martin desvalorizaram 90%. O construtor tem dificuldades de tesouraria e muito stock acumulado nos concessionários. Comercialmente, a principal esperança da marca inglesa é o novo SUV DBX, que já tem 2 mil pré-encomendas e cujas primeiras entregas começam este verão.

Deixe uma resposta

*