Patentes mostram desenho final do próximo McLaren híbrido

Patente do McLaren P16 View Gallery 9 photos

“P16” será o novo membro da Sports Series. Contará com um inédito motor V6 integrado num sistema plug-in e nova base em carbono.

Há já bastante tempo que a McLaren anda a “cozinhar” o híbrido “mainstream”. O modelo pertencente à família de acesso Sports Series poderá vir a chamar P16 e tem estreia prevista para o arranque de 2021. Agora a Automobile revelou as imagens da patente registada na China do novo modelo, que mostram com maior precisão o que poderemos esperar dentro de poucos meses na versão final. O modelo referido como HPH (High-Performance Hybrid) segue a linha estética do 720S e do GT. Os “sketches” batem certo com as fotos espia do protótipo “apanhado” recentemente em testes, ainda camuflado (ver duas últimas imagens da galeria), incluindo as entradas de ar laterais à frente, os faróis estilo bumerangue, o difusor traseiro gigante, luzes de travão de formato elíptico e ponteiras de escape colocadas ao centro. Além disso, os arcos e o vidro traseiro vertical remetem para o seu antepassado 570S.

Uma das principais novidades do P16, um potencial concorrente do Acura NSX, será a estreia absoluta de um motor V6 na McLaren. Neste caso, trata-se de um motor biturbo a gasolina – sendo para já desconhecido se partilhará componentes com o V8 presente na gama atual – integrado num sistema híbrido. A Automotive News Europe diz trata-se de um sistema híbrido plug-in – o que difere do antigo topo de gama, o igualmente híbrido P1, que recorria um sistema de recuperação de energia, sem necessidade de ligação à tomada elétrica, com base num V8. Ao que tudo indica, o novo sistema híbrido permitirá rolar até 32 em modo “zero emissões”, precisando entre três a quatro horas para um carregamento completo das baterias. Em causa está um conjunto que poderá muito bem superar os 600 cv de potência – o equivalente a pelo menos 30 cv a mais face ao atual 570S com motor V8 biturbo.

Outra caraterística da nova coqueluche tecnológica de Woking prende-se com a potência canalizada quer do motor a gasolina quer do motor elétrico apenas para as rodas traseiras. O CEO da McLaren, Mike Flewitt adianta que o sistema híbrido do novo modelo será cerca de 30 a 40 kg mais pesado face ao do P1, que tinha 140 kg. Para gerir o peso do P16, a marca britânica apoiou-se numa nova plataforma em carbono conhecida internamente como MCLA.

Deixe uma resposta

*