Lancia 037 Rally revisitado tem tração traseira e caixa manual

Kimera Automobili EVO37

Adaptado aos dias de hoje, o antigo carro de ralis do grupo B debita 521 cv.

A Kimera Automobili revelou o “restomod” do Lancia 037 Rally, um emblemático modelo de ralis do grupo B desenvolvido na década de 1980 no âmbito de uma colaboração entre a Abarth, a Pininfarina e a Dallara. Por razões de homologação, o modelo de competição teve uma versão de estrada 037 Stradale da qual foram produzidas 262 cópias com um motor 2.0 derivado de um Fiat 131 Abarth, que graças a um compressor Roots atingia 205 cv. Já o 037 Rally estreou de 1982 e valeu à Lancia o título mundial de construtores no ano seguinte.

Esta recriação respeita o máximo possível às linhas direitas da lenda de Turim, com uma linha de tejadilho baixa (com apenas 1,24 metros no original), ombros musculados, capot com entradas de ar pontilhadas, grelha bipartida ao centro, óticas redondas duplas e jantes com padrão perfurado. Na traseira, há quatro ponteiras de escape, farolins redondos e um spoiler inclinado no prolongamento da linha do tejadilho. As principais mudanças dizem respeito à tecnologia LED dos faróis à carroçaria que em vez de fibra de vidro é feita em fibra de carbono. O EVO73 é efetivamente mais comprido face ao modelo que lhe serve de inspiração, além de recorrer a elementos como Kevlar, titânio, aço e alumínio na sua construção. Este “restomod” mantem uma configuração de tração traseira e caixa manual. A suspensão de triângulos sobrepostos da Öhlins foi totalmente redesenhada, é complementada por travões carbocerâmicos da Brembo e por jantes de 18 polegadas à frente e de 19 polegadas atrás. O motor possui também a disposição do original, pois é colocado longitudinalmente atrás dos bancos traseiros. Trata-se de um 2.1 produzido pela Italtecnica (responsável pelo desenvolvimento do 550 Maranello GT1) que contou no processo com a ajuda de Claudio Lombardi, antigo engenheiro da Lancia (e também designer do último V12 da Ferrari na F1, na década de 1990). Este motor de quatro cilindros em linha conta com um turbo e um compressor Volumex, de modo a conseguir ter mais binário e reduzir a resposta do turbo – uma solução também utilizada no Delta S4. O conjunto debita um total de 521 cv e 550 Nm. O chassis, tal como no modelo original, provem de um Lancia Beta Montecarlo. Graças ao uso de painéis da carroçaria em fibra de carbono, o EVO37 pesará cerca de uma tonelada.

Serão construídas apenas 37 unidades do EVO37, a um preço que começa nos 480 mil euros. Cada modelo será decorado e personalizado individualmente. A estreia está prevista para o Festival de Velocidade de Goodwood. As primeiras entregas estão previstas para setembro.

Deixe uma resposta

*