Bugatti poderá ter sido comprada pela Rimac

Bugatti Divo

Administração do grupo Volkswagen terá chegado a acordo na semana passada com o fabricante de supercarros croata.

De acordo com a Car Magazine, a administração do grupo Volkswagen e a Rimac Automobili terão chegado a acordo durante a semana passada para a venda da Bugatti. O grupo alemão terá prescindido da marca de supercarros aparentemente porque esta não encaixa nas prioridades de investimentos a curto e médio-prazo, onde o foco é a mobilidade, eletrificação e soluções de condução autónoma. O emblema de Molsheim (autor de supercarros como o Divo com motor W16, na imagem) era de certa forma um fetiche do antigo patrão Ferdinand Piech, que enquanto geriu o grupo comprou a Bentley, a Lamborghini e a Bugatti. Contudo, desde que Piech abandonou funções em 2015 (tendo morrido quatro anos mais tarde) que têm subsistido os rumores da venda da Bugatti.

A administração da Volkswagen conseguiu convencer a família de Piech (que ainda controla 50% das ações do grupo) a vender a marca francesa com um aumento da participação da Porsche na Rimac – que poderá acrescer dos atuais 15,5% para 49%.

Apesar de ter apenas 11 anos de existência, a Rimac já conseguiu o investimento do grupo Hyundai/Kia, Koenigsegg, Jaguar e do fabricante de componentes Magna. Os croatas, que empregam atualmente mais de 600 pessoas, focam a sua atividade sobretudo no desenvolvimento de eletromobilidade, desenvolvimento de baterias e eletrónica de alta performance. Atualmente, a marca está a preparar o seu primeiro modelo de produção em série, o hipercarro elétrico C-Two com 1914 cv.

Deixe uma resposta

*